segunda-feira, 18 de abril de 2016

A Roupa e suas Expressões.

Olá Amores!!!

“Por milhares de anos os seres humanos têm se comunicado na linguagem das roupas. Muito antes de eu ter me aproximado o suficiente para falar com você na rua, em uma reunião ou em uma festa, você comunica seu sexo, idade e classe social através do que está vestindo- e possivelmente me fornece uma informação importante (ou uma informação falsa) em relação a seu trabalho, origem, personalidade, opiniões, gostos, desejos sexuais e humor naquele momento.”
                                                                                             -A Linguagem das roupas, Alison Lurie.



Nós seres superiores- digo superiores, pois podemos fazer muitas coisas que os animais não têm a capacidade- temos o privilégio de utilizarmos nossa fala e a nossa escrita. Quando queremos alguma coisa basta abrirmos a boca que a palavra sai facilmente e quem esta ouvindo entende rapidamente do que precisamos. Ou podemos simplesmente pegar um pedaço de papel e uma caneta e escrever aquilo que desejamos.

Porém, o que muitos não sabem é que nem toda a parte da nossa comunicação é feita somente de forma verbal e escrita. Mais da metade de nossa comunicação com o mundo é feita não verbalmente, através de gestos, movimentos corporais, olhares, trejeitos. Mas o que me cabe analisar aqui dentro desta reflexão é a última e mais fascinante forma de comunicação não verbal: a roupa.

Sabemos que o ser humano é capaz de expressar suas emoções de formas variadas. Um sorriso, por exemplo, pode significar que uma pessoa é simpática, gentil, pode mostrar que esta mesma pessoa está feliz, satisfeita. Mas nem sempre todos os nossos movimentos, gestos e expressões estão dizendo totalmente a verdade.

 É nesse momento que entram as roupas, elas mostram o “eu profundo” que não somos capazes de mostrar. Às vezes por vergonha, timidez, outras por desconfiança. Ela mostra o nosso verdadeiro humor, mostra quem realmente somos sem nem ao menos precisarmos dizer uma palavra ou ainda fazermos algum gesto.

É bom que desde já saibamos que a roupa, assim como a fala e a escrita, possui um vocabulário extenso. Ela se complementa com estilos de cabelos variados, acessórios, joias, maquiagens e decoração do corpo, como por exemplo, a tatuagem. Escolhemos nossa roupa no dia-a-dia de acordo com nosso estado emocional.  Se estivermos de bem com a vida é possível dizer que escolheremos roupas claras, ou com estampas grandes e cores fortes. Se estivermos chateados e entediados, é possível que escolhamos roupas de tons escuros, roupas mais pesadas.

Vestimos-nos para mostrar nosso status social, nos vestimos de acordo com as influências que sofremos do nosso meio externo, influências não só familiares, mas também de outras pessoas e, até mesmo, de países estrangeiros. Mas, principalmente, nos vestimos de acordo com o que nós realmente somos por dentro e que, muitas vezes, não conseguimos mostrar de outro jeito que não pela roupa.

E para finalizar nosso post de hoje, gostaria de dizer que nós seres humanos escolhemos roupas não só para nos arrumarmos, mas sim para nos definir e nos descrever perante a sociedade na qual vivemos!

Espero muito que tenham gostado do post de hoje. Está em um formato um pouco diferente do que vocês estão acostumadas, mas eu gostaria de dividir essa reflexão que já vem rondando meus pensamentos há algum tempo já.

Digam-nos aqui nos comentários o que você acharam desse post. Deixem-nos sugestões e dúvidas também. Ficaremos muito felizes em responder vocês.


Beijos Girls!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário